31 julho 2015

Balanço de fim de mês

— Em
A editar futuramente, porque agora preciso dormir
06 julho 2015

A gente para de escrever por um tempo e perde a prática

— Em
[deveria escrever aqui tudo o que eu queria dizer, mas não consigo]
26 maio 2015

Mais um prato quebrado em 2015

— Em , ,
É muito louco constatar que eu não sei mais o que fazer com a internet no meu tempo livre. Não tenho mais vontade de ver os sites que frequentava ou gastar o tempo no facebook. Eu nem sei mais o que procurar no facebook! Há muito tempo cancelei o feed de todos os meus 'amigos', pra segurar a onda do debate, e acabei acostumando, agora nem perco tempo acessando perfil por perfil pra ver como anda a vida do povo, porque a vida alheia não me interessa mais, assim como não me interessa expor minha vida por lá. E quando posto é sobre política, pela relevância geral que o assunto deveria ter, mas who cares? O Chrome diz que os sites mais acessados por mim são os jurídicos e de notícia... Uma dose durante o café da manhã e outra nas pausas dos estudos, porque quando não estou lendo, estou escrevendo... Como é a vida não é... E estou satisfeitíssima, se quer saber.
17 maio 2015

O primeiro pão a gente nunca esquece

— Em ,
Acho que todo mundo deveria fazer o seu próprio pão, pelo menos uma vez na vida antes de morrer. Sério!
Por que perder tempo falando da vida alheia? Prefiro sovar um pão!
Pra que ficar com a cara na TV assistindo Eliana? Prefiro colocar a mão na massa!
Pra que ficar no facebook escrevendo post sobre o quanto você não se importa com a indireta escrita por outrem e que nem era pra você? Prefiro picar temperos!
Porque depois terei uma iguaria maravilhosa pra degustar lendo um livro muito bom. Sim, sou dessas... Sem pseudointelectualismo e sem querer cagar regra pra vida alheia, mas fica a dica!
Voltando ao que interessa, tenho adorado cozinhar, principalmente pela parte seguinte que é comer o que preparei. E o resultado tem sido maravilhoso.

                  
05 maio 2015

A primeira publicação a gente nunca esquece

— Em
1. Essa foi a primeira vez em que tive uma postagem minha publicada em um veículo de noticia e senti um orgulho imenso de mim mesma.
2. O veículo de noticia era totalmente desconhecido e não gerou nenhum retorno além do meu ego amaciado, como se pode notar, não recebeu nenhum comentário.
3. Esse site em que fui publicada já não existe por motivos absurdos.
4. Relendo o que eu escrevi, percebo que não passei nem 1% da emoção do filme "p'ros leitores".
5. Quero corrigir a flexão de gênero (?) do substantivo travesti, quando me referi a Lola. Lola é a travesti, uma travesti... Enfim, erro grotesco o meu. Mas acertei o gênero quando falei de Agrado.
6. O título escroto não foi escrito por mim, foi dado por uma ~jornalista~ que escrevia e revisava o conteúdo do site.
7. Guardei isso de lembrança no Evernote e não lembro se já o postei aqui, se postei, foda-se, o blog é meu e ninguém o lê mesmo...