07 novembro 2014

23 today!



Sim, feliz!
02 novembro 2014

A vida acontece


Sem querer cair no clichê, mas já caindo, alguém ouviu e atendeu a minha oração de que me "livrasse de todo mal", afastando pessoas - ultimamente intragáveis - da minha vida.
Do alto dos meus vinte e dois anos, beirando os vinte e três, haviam pessoas reclamando do rumo em que tomei quando me afastei daquele ser que fui aos dezesseis. Mesmo que a ordem lógica da vida seja que deve haver amadurecimento ao longo das novas situações enfrentadas.
Aparentemente o trabalho social com crianças e idosos, a faculdade dos sonhos (pero no mucho) inacabada, o casamento, a mudança de cidade, a xenofobia sofrida, os problemas do emprego tendo direitos violados, o inicio na nova faculdade e a vida longe de todos que conhecia não são motivos suficientes pra uma mudança de paradigma; Aparentemente eu deveria ter parado no tempo para continuar dentro do parâmetro de aceitabilidade dessas pessoas, deveria continuar uma eterna lagarta.
O "problema" é que minhas prioridades não são mais o meu cabelo, a novela teen ou frequentar uma igreja sem questionar dogmas e como disse Raduan Nassar em Um Copo De Cólera "são outras agora minhas preocupações, é hoje outro o meu universo de problemas". Mas pra quem parou no tempo por seis anos, vendo envelhecer a pele sem viver nenhuma situação nova dentro da bolha da criada pelos pais, fica difícil acompanhar o meu ritmo. Se saiu definitivamente da minha vida, ótimo, se não fosse assim o afastamento em doses homeopáticas seria inevitável, como já vinha acontecendo.

No mais: "Já foi o tempo em que via a convivência como viável, só exigindo deste bem comum, piedosamente, o meu quinhão, já foi o tempo em que consentia num contrato, deixando muitas coisas de fora sem ceder contudo no que me era vital, já foi o tempo em que reconhecia a existência escandalosa de imaginados valores, coluna vertebral de toda “ordem”; mas não tive sequer o sopro necessário, e, negado o respiro, me foi imposto o sufoco; é esta consciência que me libera, é ela hoje que me empurra, são outras agora minhas preocupações, é hoje outro o meu universo de problemas; num mundo estapafúrdio - definitivamente fora de foco - cedo ou tarde tudo acaba se reduzindo a um ponto de vista [...]; me recuso pois a pensar naquilo em que não mais acredito, seja o amor, a amizade, a família, a igreja, a humanidade; me lixo com tudo isso! me apavora ainda a existência, mas não tenho medo de ficar sozinho, foi conscientemente que escolhi o exílio, me bastando hoje o cinismo dos grandes indiferentes." (NASSAR, Raduan).
10 outubro 2014

Das pequenas satisfações



Porque ouvir rádio a noite é melhor que qualquer remédio.

Play now: Imbranato - Tiziano Ferro
08 outubro 2014

Herança

Das coisas que herdei da minha mãe, alem da beleza natural, recebi um pacote de ansiedade hereditaria que culmina em  dores de cabeça terriveis. E a vida nao satisfeita me fez alergica a toda variedade de analgesicos.. Mas dores e neuroses a parte, que saudade dela, da minha rainha! Ja quero ela aqui comigo pra ontem! :(
13 setembro 2014

Seis


"Quanta coisa aconteceu e foi dita,
qualquer mínimo detalhe era pista,
coisas que ficaram para trás,
coisas que você nem lembra mais...
Mas eu guardo tudo aqui no meu peito [...]"